Para você que está ingressando agora no mundo dos investimentos e está inseguro, além das dúvidas sobre como investir no mercado de ações, fique tranqüilo, pois não é tão complicado assim!
Com algumas orientações e com ajuda de um profissional competente logo irá se adaptando a este fantástico mercado financeiro.
Neste artigo vamos explicar em síntese o que precisa saber, para que se encoraje nos seus primeiros passos.

Relembrando o que são as ações

Uma ação é uma parcela de alguma empresa específica, que adquirindo você estará se tornando “sócio”, e assim passa a ter direitos, que também incluem participar dos lucros da empresa.
Quanto mais à empresa progredir, mais você será beneficiado, podemos dizer que você é “dono da ação”?

1

Em quatro situações você vai aprender a investir em ações:

1. Fundos de Investimentos como primeira opção

Nesta modalidade você irá comprar as cotas de uma carteira previamente montada por um profissional que será o gestor principal e você estará sujeito as decisões deste gestor, de investir ou não em determinada ação. Evidentemente que o gestor também terá que cumprir regras.
Essa é uma ótima opção para quem está começando no mercado de ações e deseja aplicar suas economias. É importante que você saiba que:
• As vantagens são:

 É interessante para quem tem pouco dinheiro para investir;
 Os custos são diluídos entre todos que compõe o grupo gerenciado por este gestor;
• Não há uma desvantagem significante, a única exceção é que você não escolhe os ativos, mas isso muitas vezes é benéfico, pois a experiência é uma condição relevante para você se dar bem investindo em ações.

2. Os clubes de investimento ou pequenos condomínios

Como o próprio nome já diz, são pessoas físicas que formam um grupo, que com objetivo comum de comprar ações. O procedimento é semelhante ao fundo de ações e sempre é muito bom, porque a divisão das despesas também é diluída entre todos.
E você poderá investir considerando o seguinte:
• Quantidade de participantes de 3 a 50;
• E a composição da cota deverá ser de 67% em ações; bônus de subscrição, debêntures conversíveis em ações de emissão de companhias abertas, recibos de subscrição, cotas de fundos de índices de ações negociados em mercado organizado e certificados de depósitos de ações.
• E nenhum cotista deverá ter mais de 40% de cotas sozinho.
É muito vantajoso para quem possui menos de R$10.000,00 e a diluição dos custos é outro atrativo interessante e como nos fundos de investimento o gerenciamento é feito pelo administrador eleito em Assembléia.

 

2

3. ETFs – (Exchange Traded Funds)

Calma, não precisa se assustar com este nome, que de fato é um pouco estranho, mas saiba que os ETFs, são fundos muito semelhantes às ações e também negociados na Bolsa de Valores.
Você já deve ter ouvido falar em uma cesta de ações, esses são o ETFs, que além do um ativo, entram, às vezes mais de 60 ações compradas com a mesma ordem.
Pode ser bem interessante, pois:
• Vantagens: Pois a rentabilidade é maior que outros fundos;

• Desvantagens: não é indicado para baixas quantias, pois o custo mensal é variável, quanto maior o investimento menor sua incidência.

4 . Montar uma Carteira de Ações

Agora quero chamar sua atenção para o seguinte:
Montar uma carteira de ações que tenha bons rendimentos vai exigir sim ajuda de um bom profissional, por que:
• Precisa ter rentabilidade acima do mercado;
• Mais cuidado ainda se tem pouco dinheiro para investir;
• Os custos são grandes e podem não compensar o rendimento;
• Os dividendos são pequenos e poderá encontrar problema para reinvestir;
• Sempre pense em retorno em longo prazo.

3

Essas são algumas considerações básicas para que você se familiarize com as linguagens de investidor.
Parece complicado? Sim no início é vital que você se dedique em entender todos os procedimentos para investir com o menor risco possível, e principalmente com quanto você poderá começar a investir, por isso, leia nosso próximo artigo, que abordará este assunto.

 

Share this post on: