Quem vive o dia a dia do mercado financeiro sabe que não existe apenas um estilo de operação. Não estamos falando aqui de perfis como agressivo ou conservador, mas sim de uma classificação que leva em consideração os tempos operacionais e o conjunto de ferramentas analíticas relacionadas. Assim, convencionou-se mapear um trader dentro de três grupos de acordo com seu modus operandi: Day trader, Swing trader e Position trader. Conheça as características de cada um deles.

 

O Day Trader

 

O day trader é aquele operador de mercado que realiza negociação de ativos durante um mesmo pregão. Normalmente, as operações são feitas com a mesma quantidade de títulos e na mesma corretora. O objetivo deste investidor consiste em buscar pequenas variações dos preços dos ativos em curtíssimo prazo. Em sua maioria, suas entradas e saídas são muito rápidas, a estratégia baseia-se em ganhar parte do movimento de uma pequena tendência, sendo ela de alta ou de baixa.

 

De forma geral, o day trader opera ativos com boa liquidez e volatilidade. Privilegiam-se ativos que não tenham grandes diferenças de preços no livro de oferta (chamados spreads), porque os stops podem ficar distantes e os prejuízos em caso de finalização da operação devem ser extremamente bem controlados. Os lucros operacionais costumam ser pequenos, mas freqüentes.

 

O prazo operacional do day trader varia de alguns segundos (e ultimamente até milissegundos) a algumas horas. Atualmente com as negociações realizadas de forma eletrônica, permitiu-se que esse estilo de negociação gerasse uma quantidade considerável e crescente de adeptos, uma vez que as intervenções no mercado devem ser razoavelmente precisas. Sobretudo neste estilo, é de fundamental importância que o day trader crie seu plano de operações antes mesmo do pregão iniciar, não existe tempo para conduzir análises profundas de maneira adequada enquanto o mercado está se desenrolando. A variação de alguns centavos no preço de um ativo, por exemplo, pode significar a diferença entre entrar ou não em uma operação e, por conseqüência, aproveitar ou não uma oportunidade.

 

Faz parte do cotidiano do day trader acesso em tempo real do mercado e uso de tempos gráficos de 60 minutos ou menos. Dentre as técnicas mais usadas por este investidor podemos destacar:

 

  • Análise de rompimentos (breakouts);
  • Operações de retorno a média;
  • Indicadores como: Bandas de Bollinger, Hi-Lo e técnicas de Fibonacci.

Figura 1 – Operação de day trade em BVMF3

 

A figura 1 ilustra uma operação de day trade com os papéis da BM&FBovespa (BVMF3). A ferramenta usada são as bandas de Bollinger, configuradas com desvio 2 e média aritmética de 20 períodos. Um sinal de compra foi disparado no momento do rompimento da banda inferior, enquanto que uma ordem de venda encerrou a posição ao tocar a banda superior. Neste exemplo obteve-se um retorno de cerca de 2,50% e a duração da operação completa foi de cerca de 1 hora.

 

O Swing Trader

 

O swing trader está para o curto prazo assim como o day trader está para o curtíssimo. O elemento básico de observação é o movimento dos preços (swings). O acompanhamento deste trader é constante e suas principais bases para análise são os gráficos diários e intraday. As operações duram, em média, de 2 a 10 pregões.

 

O gráfico diário é o ponto de partida, sendo os gráficos menores (intraday) usados para confirmar situações técnicas ou como otimizadores dos pontos de entrada/saída. O ferramental analítico é ainda mais amplo para o swing trader, pois ferramentas técnicas como padrões de candles oferecem maior confiabilidade estatística em tempos gráficos maiores do que em prazos menores, como do day trader.

 

O swing trader não necessita encerrar as operações ao longo de um único pregão. Assim, é possível construir estratégias que considerem um acompanhamento de um conjunto maior de ativos e também lucros por operação maiores. Existe também maior flexibilidade no dimensionamento de posição e no gerenciamento de risco. Durante a definição do plano de trade, o swing trader opta entre uma alocação parcial ou total, bem como os critérios de realização parcial e total.

 

A rotina do swing trader muitas vezes envolve ainda:

 

  • O acompanhamento da abertura do mercado futuro;
  • Índices de mercados externos;
  • Volumes e movimentos ao longo do dia;

 

Acompanhamento de papéis com mais de 50 negócios diários ? swing trading permite que se trabalhe com ativos de menor liquidez do que o day trading.

Figura 2 – Swing trade com Gerdau PN (GGBR4)

 

O swing trade apresentado na figura 2 utiliza-se do oscilador estocástico. No trade, uma compra é aberta quando o indicador cruza o limite de 20 de baixo para cima e o fechamento da operação é realizado quando o indicador cruza o nível de 80 de cima para baixo.

 

O swing trade pode ter seu acompanhamento auxiliado pelos gráficos menores. A figura 3 mostra a linha de tendência de alta que se desenvolveu ao longo da operação. Observe que os retornos a linha são oportunidades técnicas de aumento de posição, se assim desejar o trader.

Figura 3 – Intraday de 30m da GGBR4

 

O Position Trader

 

O position trader estrutura seus investimentos em posições que permanecem por semanas e até mesmo por anos. Sua análise é pautada, em geral, em gráficos semanais, com observação em pontos de entrada, stops e alvos muitas vezes com o mercado fechado.

 

Seus objetivos não são imediatos, o perfil deste trader de longo prazo requer calma e paciência, posto que o retorno financeiro independe da necessidade imediata de dinheiro. Aproveitar movimentos mais longos e amplos é característica do estilo de position trading.

 

Este tipo de investidor geralmente é mais conservador, não arrisca em movimentos de curto prazo. A liquidez dos ativos negociados pode ser bem menor que no caso do day trader e do swing trader, pois o investidor tem mais tempo para entrar ou sair de uma posição. Além das técnicas da análise gráfica, torna-se possível aliar ferramentas fundamentalistas e o estudo dos ciclos macroeconômicos do mercado.

Figura 4 – Exemplo de position trade com Bradesco (BBDC4)

 

No gráfico semanal de BBDC4 (figura 4) temos duas médias móveis. A média verde de 21 períodos é a mais rápida, enquanto que a média azul de 42 períodos é a mais lenta das duas (também chamada de média base). Na operação em questão está sendo aplicada a técnica de cruzamento de médias, assim, uma ordem de compra é gerada quando a média rápida cruza a lenta de baixo para cima e uma ordem e venda quando ocorre a situação oposta. Ambas as situações estão marcadas no gráfico com as setas verde e vermelha respectivamente, tendo a operação se desenvolvido ao longo de cerca de 15 meses e produzido um retorno próximo a 40%.

 

Considerações

O estilo de operação deve estar alinhado com os objetivos e a personalidade do trader. Um investidor mais conservador nunca se sentirá à vontade operando como um day trader. De maneira contrária, um operador mais agressivo e com estratégias mais rápidas jamais conseguirá ficar confortável tendo de aguardar meses para encerrar um único trade.

 

 

Fonte : http://www.nelogica.com.br/conhecimento/artigos/trading/day-swing-position

 

Share this post on: