análise técnica

A análise gráfica como uma das mais variadas formas de se analisar o mercado possui vantagens de identificação de um ativo em sua tendência atual, seja de baixa ou de alta. Mas também, podemos identificar como essa tendência está em relação a posição do clímax, que nada mais nada menos que a identificação do volume de compradores e vendedores com a posição atual do preço.

 

Vídeo Explicativo – Mini Curso de Análise Técnica – André Moraes

 

 

Fonte : https://www.youtube.com/user/tradeaovivodobrasil/playlists  – Canal do Youtube – André Moraes

 

 

 

 

 

 

O conceito de suporte e resistência está intimamente ligado ao conceito de oferta e procura. Reflete a ideia de comprar barato e vender caro, intenções de qualquer investidor. Como já foi dito o mercado não se move de uma forma linear, é composto de “topos” e “fundos” que, de acordo com sua direção principal, compõem uma tendência maior.

Estas mesmas ondas se subdividem em oscilações de prazos e amplitudes ainda menores. Os fundos dos movimentos anteriores permitem identificar previamente regiões no gráfico nas quais tende a haver um aumento da procura, o inverso ocorrendo nos topos anteriores, onde há aumento na oferta. Logo, suporte é um ponto onde a queda dos preços é interrompida por um aumento na força de compra, e resistência é um ponto onde a alta dos preços é interrompida por um aumento na força de venda.

Vídeo Explicativo – Mini Curso de Análise Técnica – André Moraes

 

 

Fonte : https://www.youtube.com/user/tradeaovivodobrasil/playlists – Canal Youtube – André Moraes

 

 

Leave a comment  1

As Linhas de Tendência (abreviadamente LT’s) são dos instrumentos mais utilizados, senão o mais utilizado, na Análise Técnica Clássica (ou convencional) quer seja de forma isolada quer seja inseridas em padrões mais complexos.

Definição

A linha de tendência é uma linha formada por mínimos relativos consecutivos (Linha de Tendência de suporte ou Linha de Procura) ou por máximos relativos consecutivos (Linha de Tendência de resistência ou Linha de Oferta).

A linha de tendência serve na Análise Técnica dois aspectos:

  • Por um lado define o tipo de movimento que o título descreve o que permite definir estratégias e posicionamento relativamente ao título.
  • Por outro, a quebra da linha representa a quebra de um padrão de comportamento o que pode consistir por si só num sinal de entrada ou num sinal de saída.

 

Vídeo Explicativo – Mini Curso Análise Técnica – André Moraes

 

 

Fonte : https://www.youtube.com/user/tradeaovivodobrasil/playlists – Canal do youtube – André Moraes

 

 

Existem diversas formatações de candles que podem servir para analisar a tendência dos preços das ações e outros ativos financeiros. Para encontra-los, é preciso estudar os padrões existentes e ficar de olho nos preços diariamente para encontrar uma formação de um padrão em forma prematura. Quanto antes se identificar a padronização, melhor será a decisão de investimento.

Vídeo Explicativo – Mini Curso Análise Técnica – André Moraes

 

Fonte : https://www.youtube.com/user/tradeaovivodobrasil/playlists – Canal no Youtube André Moraes

 

 

 

 

Entender o que diz um gráfico de candlestick é um conhecimento muito lucrativo para todo investidor que busca sucesso na bolsa de valores.

Esta habilidade é fundamental principalmente para quem deseja utilizar a Análise Técnica para identificar os momentos corretos de compra e venda

 

Vídeo Explicativo – Mini Curso Análise Técnica – André Moraes

 

Fonte : https://www.youtube.com/user/tradeaovivodobrasil/playlists – Canal Youtube André Moraes

 

 

A teoria Dow tem quase 100 anos, no entanto, mesmo com os atuais mercados voláteis e voltados para a tecnologia os componentes básicos da Teoria de Dow se mantêm válidos.

Desenvolvida por Charles Dow, refinada por William Hamilton e articulada por Robert Rhea, a Teoria de Dow aborda não só a análise técnica e o preço da ação, mas, também, a filosofia do mercado.

Vídeo Explicativo – Mini Curso Análise Técnica – André Moraes

Fonte : https://www.youtube.com/user/tradeaovivodobrasil/playlists  –  Canal Youtube André Moraes

 

 

A análise técnica ou análise gráfica, de maneira resumida, é uma abordagem que utiliza gráficos como ferramenta principal para determinar o melhor momento (e preço) para comprar e vender ativos. Em complemento a utilização de gráficos, a análise técnica inclui também uma série de teorias sobre como acontecem os movimentos do mercado.

Vídeo Explicativo :

Mini Curso de Análise Técnica – André Moraes

 

 

Fonte : https://www.youtube.com/channel/UCqsq57uOHDfJzoAV_4JkOew  – Curso Básico André Moraes

 

 

Bandeiras e flâmulas são padrões muito úteis de continuação de tendência. Elas possuem características semelhantes:

 

    • Um movimento mais forte e objetivo inicial.
    • A correção do movimento.
    • Uma retomada do movimento na direção original.

São formações, em geral, de curta duração (1 a 3 semanas) que surgem com mais frequência em fases de subidas ou de quedas mais bruscas. O volume durante a formação tende a se reduzir, aumentando novamente no ponto de corte.

 

A diferença fundamental entre uma bandeira e uma flâmula é o formato do padrão corretivo da formação. Observe nas figuras abaixo que a bandeira é semelhante a um retângulo (podendo ter inclinação), enquanto que a flâmula é uma bandeira pontiaguda, lembrando bastante um triângulo.

Bandeira

Flâmula

Alvo Para os Preços

 

Como técnica de cálculo de alvo dos preços utilizamos o tamanho do movimento inicial até o início do padrão corretivo (primeira linha vermelha nas figuras acima). Então, quando acontece o rompimento (geralmente com aumento de volume conforme dito anteriormente) projetamos essa mesma distância a partir da linha base da bandeira ou flâmula (dando origem a segunda linha vermelha). Alguns analistas acreditam que a projeção pode ser feita do ponto mais alto da bandeira ou flâmula, entretanto, teríamos um alvo otimista nesse caso.

 

Abaixo vemos um exemplo de bandeira na Telemar (TNLP4). Observe que conforme mencionado, o retângulo que forma o padrão corretivo da bandeira pode ser inclinado.

 

 

Fonte : http://www.nelogica.com.br/conhecimento/tutoriais/introtec/bandeiras-flamulas

 

 

Neste capítulo analisaremos topos e fundos duplos como ferramentas de reversão. Para topos e fundos triplos as informações são igualmente válidas.

Topos Duplos

 

Topos duplos sinalizam o final de um mercado de alta. Eles são formados quando os preços sobem até atingir um determinado nível, geralmente, com volume aumentando durante o percurso e ao atingir esse nível começam um processo de retração com o volume diminuindo. Após a retração, uma nova alta inicia-se até voltar ao nível de preços atingido anteriormente ou bem próximo disso. O volume nesta segunda “viagem” poderá, inclusive, ser menor do que o volume gerado na formação do primeiro topo.

Na figura acima a linha vermelha representa duas vezes a altura do topo a partir de sua linha base. O tamanho da linha indica um preço-alvo para o movimento após a reversão. Para uma maior validade, muitas vezes os analistas apreciam uma certa separação entre os topos de pelo menos duas ou três semanas.

Fundos Duplos

 

Os fundos duplos possuem as mesmas características que os topos duplos, claro que trata-se do inverso, ou seja, um padrão que indica reversão para uma tendência de alta.

São válidos os mesmos conceitos em relação ao nível-alvo dos preços após a formação e o tempo de duração. Conforme os fundos vão se formando existe, normalmente, um aumento de volume associado, diminuindo na reação de volta até a linha base.

 

Negociando com Topos e Fundos Duplos

 

Os topos duplos sinalizam venda, enquanto que os fundos indicam compras. Fatores que aumentam a confiabilidade do padrão ainda é o fato de os topos/fundos serem formados em zonas de resistências/suportes importantes. Como recomendado em outros capítulos deste tutorial, sempre que utilizamos técnicas de análise gráfica em conjunto podemos aumentar muito o sucesso de nossas estratégias de investimentos. Um exemplo real de topo duplo podemos ver no gráfico abaixo do Bovespa.

Topos e Fundos Triplos

 

Todos os conceitos são válidos para topos e fundos triplos, a única diferença é que existe um topo ou fundo a mais do que nos casos estudados.

 

Fonte : http://www.nelogica.com.br/conhecimento/tutoriais/introtec/topos-fundos-duplos

 

Triângulos são classificados como padrões de continuação de tendência, eles se formam quando a flutuação dos preços começa a atingir amplitudes cada vez menores conforme o tempo passa. Existem três tipos básicos de triângulos: ascendentes, descendentes e simétricos.

 

No começo de sua formação o triângulo está em seu ponto mais largo, á medida que o tempo passa os preços passam a oscilar entre duas linhas: a inferior de suporte e a superior de resistência. Não existe verdade absoluta, mas a tendência é a continuação do movimento atual após o rompimento, em especial no que se refere a triângulos ascendentes e descendentes.

 

Triângulo Ascendente

 

O triângulo ascendente possui o lado superior horizontal e o inferior como uma linha ascendente. O rompimento normalmente indica a continuação da tendência. Uma das técnicas para utilizar o triângulo ascendente como instrumento de operação é aguardar pelo rompimento da linha horizontal com alto volume, nessa situação os analistas esperam por uma alta de pelo menos a altura do lado mais largo do triângulo.

Triângulo Descendente

 

O triângulo descendente é o inverso, tende a ser um sinal de queda. A linha horizontal fica na parte inferior enquanto que uma linha de tendência inclinada para baixo se forma. Como no caso ascendente, espera-se que os preços percorram uma distância equivalente ao tamanho do lado mais largo da formação.

Triângulo Simétrico

 

No triângulo simétrico os preços máximos e mínimos das flutuações atingem amplitudes cada vez menores. É uma formação típica de indecisão e a sua tendência está mais relacionada com a continuação da tendência corrente do que com reversão.

Outras Características dos Triângulos

 

Durante a formação do padrão os triângulos, geralmente, apresentam diminuição constante do volume, havendo um aumento significativo apenas na região de corte (rompimento), o que é um sinal bastante importante.

 

No que diz respeito a duração do padrão, em um nível diário, o triângulo demora algo em torno de 3 ou 4 semanas para se formar e raramente mais do que 90 dias. Entretanto, sempre é bom ressaltar que essa é uma expectativa e não a ação que o mercado vai efetivamente tomar.

 

O triângulo é um padrão de continuação de tendência, mas é importante lembrar que não necessariamente um triângulo simétrico ou ascendente vai romper para cima e um descendente para baixo. O rompimento pode ser para qualquer direção, o mais importante é saber se posicionar de acordo com o movimento posterior.

 

Fonte:  http://www.nelogica.com.br/conhecimento/tutoriais/introtec/triangulos

 

 

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
JÁ VAI SAIR ? =(

DEIXE SEU E-MAIL CONOSCO

Fique por dentro de todos nossos posts,você vai ser o primeiro a ser avisado sobre novidades =)